ADOTE SUA PRAÇA DE FORMA COLABORATIVA!

PRACINHA

Em outras colunas, contei um pouco sobre a ótica da nova economia mundial e como ela se relaciona com Sustentabilidade não somente do meio-ambiente mas com a preocupação de bem-estar das pessoas e espaços de uma cidade, bairro ou comunidade.

Essa semana conheci uma Plataforma muito interessante que facilita a união comunitária em prol da revitalização e manutenção de praças, dado que o poder público não da conta de tudo e acaba deixando para trás alguns espaços públicos.

Para quem é o Praças?

Para moradores, comércios e empresas localizadas próximas a praças públicas abandonadas que tem uma relação emotiva com o bairro e estão cansados da ineficiência pública.

A cidade de São Paulo tem mais de cinco mil praças, sabia?

Dessas, segundo a prefeitura, 530 estão sob os cuidados de empresas ou pessoas físicas assim com a plataforma você consegue unir pessoas e eles fazem todo o trabalho burocrático junto a prefeitura viabilizando as documentações e deixando o processo mais ágil!

Os espaços públicos tem muito a nos oferecer. Além das opções de lazer, eles também podem funcionar como espaços de ensino fora de casa e da sala de aula.

Zelar pelo espaço público garante a diminuição de fatores de risco, como violência, insegurança e mau uso, fatores esses que são os mais agravantes nas praças abandonadas. Jardins bem cuidados, plantas podadas, boa iluminação, lugares para se estar e brincar criam uma dinâmica diferente nas nossas queridas áreas verdes.

Os lugares também podem ser transformadores na vida das pessoas. O espaço público pode funcionar como uma extensão dos espaços privados, contando com o beneficio de abrigar toda a diversidade e multicultura que as cidades e a natureza incorporam.

Além disso, as praças possuem diversas simbologias que trazem memórias para as pessoas. Quem não tem uma história de namoro no banco da praça? De uma partida de xadrez durante a tarde? O parquinho pode ter sido o local de origem daquela cicatriz antiga, as árvores se constituem dos pés em que as frutinhas eram colhidas, os jardins poderiam ser um local de passeio com a família.

Diversas lembranças podem ser construídas com carinho ao ar livre.

Acredito que resgatar essa autoestima física das praças pode ser, portanto, um bom ponto de partida para integrar a sociedade, convido a todos a fazer parte dessa plataforma super engajadora!

pracinha

 

ATACAMA1

Evelyn Diogo, 28 anos, Administradora, taurina, pirada em viajar, dançar e sorrir, adora praticar esportes e yôga, apaixonada por crianças, viciada em Friends, busca a arte de equilibrar qualidade de vida e ambiente corporativo…!

 

 

Deixe seu comentário =)

Comentários